FREDY - diário de um ato(r)

traduzindo
em edição

domingo, 5 de julho de 2009

SERA QUE ESPERO? DE ESPERANÇA. NÃO. SERIA COMO SE OS LIVROS GANHASSEM SIGNIFICADO SEM PRECISAR LE-LOS.
O ABANDONO SÃO TANTAS E DE TANTAS É TÃO SUTIL QUE ENGANA ATÉ O QUE QUER SE AUTO ENGANAR DE APAIXONADO.
NEM SEI ESCEVER OU PENSAR COMIGO E PRA MIM. MAS PENSO SEMPRE EM MIM. OU EM MIM A PARTIR DO QUE SERIA DE MIM BOM PARA UM JULGAMENTO DO OUTRO. UM LIXO COM NOME PRA SE LEMBRAR DE MIM.

ESPERO DE ESPERANÇA, SIM. MEUS OLHOS ESTÃO TÃO FECHADOS. NEM ENXERGO. AS VEZES SINTO QUE QUERO FICAR ASSIM. ESPERANDO. COMO SE NÃ SOUBESSE O QUE VIRÁ. OU O QUE NÃO VIRÁ. ACREDITAR NA PALAVRA. TÁ TÃO DIFÍCIL. TÃO DIFÍCIL QUE ME FAZEM DESCRER DAS PALAVRAS DE MEUS PENSAMENTOS, SOMBRAS DOS MEUS SENTIMENTOS.
la vem meu companheiro
solidão
http://lh5.ggpht.com/_siY2AmgH-nQ/Si8R3TBEM8I/AAAAAAAAAbE/IxBPpJXuc3g/bodecidade3.gif